Celia Costa
Dando continuidade aos desafios da série especial de convidadas no blog ATC Challenge ( criação e postagem em parceria com a Lilian e Vera Amorim ) esta semana estamos com a convidada mais que especial Lu Pimentel !
A Lu chegou com uma proposta de desafio incrivel com o tema Arte !

Eu admiro inúmeros artistas ( Dali, Matisse, Van Gogh, Modigliani, Frida, Miró, Paul Klee, Monet, e muitos outros, acho que seria mais fácil enumerar os que não gosto, risos ! ) mas como temos que escolher um só, escolhi o MC Escher.
Estava na época no curso de Psicologia quando tive a oportunidade de conhecer esse artista fantástico através de suas obras instigantes , conheça um pouco sobre a vida desse fabuloso artista :





Uma das principais contribuições da obra deste artista está em sua capacidade de gerar imagens com impressionantes efeitos de ilusões de óptica, com notável qualidade técnica e estética, tudo isto, respeitando as regras geométricas do desenho e da perspectiva.
Foi um artista gráfico holandês conhecido pelas suas xilogravuras, litografias e meios-tons (mezzotints), que tendem a representar construções impossíveis, preenchimento regular do plano, explorações do infinito e as metamorfoses - padrões geométricos entrecruzados que se transformam gradualmente para formas completamente diferentes.

Foi numa visita à Alhambra, na Espanha, que o artista conheceu e se encantou pelos mosaicos que haviam nas mesquitas do lugar, herança das invasões árabes do passado. Escher achou muito interessante as formas como cada figura se entrelaçava a outra e se repetia, formando belos padrões geométricos. Este foi o ponto de partida para os seus trabalhos mais impressionantes e famosos, que consistiam no preenchimento regular do plano, normalmente utilizando imagens figurativas e não geométricas, como os árabes faziam por causa da sua religião muçulmana, que proíbe tais representações.

A partir de uma malha de polígonos, regulares ou não, Escher fazia mudanças, mas sem alterar a área do polígono original. Assim surgiam figuras de homens, peixes, aves, lagartos, todos envolvidos de tal forma que nenhum poderia mais se mexer. Tudo representado num plano bidimensional.

Destacam-se também os trabalhos do artista que exploram o espaço. Escher brincava com o fato de ter que representar o espaço, que é tridimensional, num plano bidimensional, como a folha de papel. Com isto ele criava figuras impossíveis, representações distorcidas, paradoxos.

Maurits Cornelis Escher nasceu em 1898, em Leeuwaden, sendo o filho mais novo do Engenheiro hidráulico G.A.Escher.
Aos 13 anos, Escher ingressou numa escola secundária em Arheim. Foi considerado um péssimo aluno e sendo reprovado duas vezes pelos professores. Em 1919, Escher foi para Haalem, com intuito de estudar na Escola de Arquitetura e Artes Decorativas sob orientação do arquiteto Vorrick, porém o seu estudo de arquitura não durou muito tempo. Samuel Jesserun de Mesquita, um professor que ensinava técnicas de gravura artística, verificou o talento do aluno e convenceu com que ele mudasse para o curso de Artes Decorativas, Mesquita tornou-se o professor principal de Escher durante os primeiros anos.
Até princípios de 1944, quando Mesquita, juntamente com sua mulher e o filho, foi preso e assassinado pelos alemães nos campos de concentração, Escher manteve-se em contato com seu professor.



Durante a sua estadia na Itália, no peíodo de 1922 a 1935, Escher desenvolveu suas primeiras xilogravuras das paisagens pitorescas da Itália. Casou-se com a jovem Jetta Umiker durante uma das viagens para sul da Itália, com quem teve três filhos. Em 1935, o clima político na Itália tornou-se impossível para Escher, desinteressado em questões políticos, mudaram-se para Chateaux-d'Oex, na Suíça. A estadia nesse lugar foi de apenas dois anos.
Em 1937, a família mudou-se para Ukkel, na Bélgica. Quando a guerra começou, tornou-se psicologicamente difícil viver na Bélgica para alguém de origem holandesa, pois muitos belgas tentaram fugir para o sul da França e entre os que ficavam crescia um surdo ressentimento contra os estrangeiroa que desgastavam os já decrescentes provisões alimentícios. Em janeiro de 1941, Escher mudou-se para Beern, na Holanda. Foi lá onde o artista teve o sossego de desenvolver seus trabalhos mais ricos da sua carreira artística. Em 1962 submeteu a uma grave operação por causa de uma doença, daí em diante produziu poucas obras. Em 1970, mudou-se para a Casa-de-Rosa-Spier em Laren, uma casa onde os artistas idosos podiam ter os seus próprios estúdios e serem cuidados, ali faleceu em 27 de março de 1972.

Fontes :
Wikipédia
Banco de Dados Visual

Aqui você pode ver o artista em seu estúdio :




Aqui uma seleção de sua obra :





Aqui você pode visitar o site oficial do artista :

http://www.mcescher.com/

Nesse blog achei alguns trabalhos em escultura de suas obras, achei super interessante !!































Recomendo esses dois livros sobre Escher se você desejar saber mais , eu tenho os dois livros , escanei aqui as capas , atualmente as capas desses livros estão diferentes, gosto mais desses , hehe !

MC Escher Gravuras e Desenhos
Nesse o grande foco é a obra do artista, em cada página foto das obras e um capitulo sobre o autor e sua obra.

O Espelho Mágico de MC Escher
Esse é o meu preferido, pois tem uma biografia ótima e todos os detalhes sobre cada criação , é apaixonante a descrição do processo de criação do artista, esse livro juntamente com o Gravuras e Desenhos se completam !
Foi escrito pelo matemático Bruno Ernst e baseia-se em muitas conversas com o artista, resultando em uma grande amizade que permitiu ao autor do livrao conhecer a fundo a vida e a obra do Escher.
Para você ter uma idéia o B.Ernst visitou o Escher durante um ano, semanalmente, para com ele estudar sistematicamente toda a obra. O proprio Escher conferiu todo o texto que resultou desses encontros e também comentado por ele.
Recomendado !!!



Eis aqui o ATC finalizado ( com a ajuda do meu filho Guilherme com os doodles, claro ! ).
Essa obra chama-se Torre de Babel.








Comentário do Escher sobre sua obra : "Considero a minha obra, simultâneamente como muito bonita e muito feia."

Obrigada pela visita e pelo comentário carinhoso !
Beijos da Celly


Marcadores: | edit post
5 Responses
  1. Andrea Guim Says:

    Uau!!! Arrasou!!! O ATC tálindo e a postagem completíssima!!!
    Por favor, Celia, volte ao meu blog e faça seus comentários novamente... Sem querer apaguei alguns e os seus foram junto... :{
    Beijos!!!


  2. Adliz Jamile Says:

    Celly!!! Amei a aula... Vc acredita que não conhecia este artista, não que eu me lembre agora... Com certeza vou ler mais, rs!!!
    Super legal o seu ATC e os doodles do seu filhote... rs!
    Beijocas, Adliz!


  3. Scraps Point Says:

    Celly querida,

    Linda a postagem sobre o MC Escher. Eu tb gosto muito da obra dele...
    será que é o efeito da Psicologia????
    kkkkk ....
    rsss ...
    Bem, independente do "pq", mas sim "QUE" gostamos, não importando a forma que temos para encontrar a obra dele, fica a sua bela indicação para quem ainda não teve a oportunidade de apreciar..
    Já poderá começar, né?

    E agora, para me despedir nesta postagem, fica tb minha saudação ao seu ATC... um charme só !!!!!!!!
    AMEI !!!!!!!!!!!!
    Bjks mil,


  4. Lu Says:

    Que lindosssssssssssss, Celly eu simplesmente amo o Escher, o trabalho dele é sensacional !
    Mas como minha paixonite é o Kandinsky, ai foi o primeirão que me veio a cabeça , alias sempre é :)
    heheheehe
    Adorei !
    beijos


  5. Adliz Jamile Says:

    Oiiiiii!!!
    Então, para expô-los eu ainda não pensei em nada... Mas os guardo no mini de ATCs que fiz, acho que vc viu lá no meu blog, né? E deixo num lugar onde tem outros minis na minha sala, para quem chegar e quiser ver, é só pegar, rs!!!!
    Beijocas, Adliz!!!