Celia Costa
Nossa, já estamos no dia 06/02 e somente agora pude vir aqui no meu blog fazer um post !
Com o inicio das aulas ficamos um pouco tumultuados aqui em casa , risos, agora estamos aos poucos voltando para a nossa antiga rotina !
Nesse final de semana também comemoramos o aniversário do meu filho Guilherme que comemorou 13 anos e das minhas sobrinhas Gabriela e Daniela, também comemoram 13 aninhos, esses três quase nasceram juntos, meu filho nasceu dia 02/02 e minhas sobrinhas 03/02, uma agradavel coincidência para a familia , que tem festa em dose dupla todo ano !
E o tempo caminha a passos largos, daqui a cinco anos estarão todos com dezoitos anos e rumando para a faculdade !
E como a questão do tempo sempre foi um dos meus assuntos prediletos, deixo aqui um texto que acho muito interessante e verdadeiro :



Thomas Mann - Montanha Mágica - O Tempo e o Tédio

Excerto da Montanha Mágica por Thomas Mann, onde este faz uma dissertação sobre a passagem lenta e rápida do tempo:

Com respeito à natureza do tédio encontram-se frequentemente conceitos erróneos. Crê-se em geral que a novidade e o carácter interessante do seu conteúdo "fazem passar" o tempo, quer dizer, abreviam-no, ao passo que a monotonia e o vazio estorvam e retardam o seu curso. Mas não é absolutamente verdade. O vazio e a monotonia alargam por vezes o instante ou a hora e tornam-nos "aborrecidos"; porém, as grandes quantidades de tempo são por elas abreviadas e aceleradas, a ponto de se tornarem um quase nada. Um conteúdo rico e interessante é, pelo contrário, capaz de abreviar uma hora ou até mesmo o dia, mas, considerado sob o ponto de vista do conjunto, confere amplitude, peso e solidez ao curso do tempo, de tal maneira que os anos ricos em acontecimentos passam muito mais devagar do que aqueles outros, pobres, vazios, leves, que são varridos pelo vento e voam. Portanto, o que se chama de tédio é, na realidade, antes uma simulação mórbida da brevidade do tempo, provocada pela monotonia: grandes lapsos de tempo quando o seu curso é de uma ininterrupta monotonia chegam a reduzir-se a tal ponto, que assustam mortalmente o coração; quando um dia é como todos, todos são como um só; e numa uniformidade perfeita, a mais longa vida seria sentida como brevíssima e decorreria num abrir e fechar de olhos. O hábito é uma sonolência, ou, pelo menos, um enfraquecimento do senso do tempo, e o facto dos anos de infância serem vividos vagarosamente, ao passo que a vida posterior se desenrola e foge cada vez mais depressa, esse facto também se baseia no hábito. Sabemos perfeitamente que a intercalação de mudanças de hábitos, ou de hábitos novos, constitui o único meio de manter a nossa vida, de refrescar a nossa sensação de tempo, de obter um rejuvenescimento, um reforço, um atraso da nossa experiência do tempo, e com isso, a revolução da nossa sensação da vida em geral. Tal é a finalidade da mudança de lugar e de clima, da viagem de recreio: nisso reside o que há de salutar na variação e no episódio. Os primeiros dias num ambiente novo têm um curso juvenil, quer dizer, vigoroso e amplo - seis ou oito dias. Depois, na medida em que a pessoa se "aclimata", começa a senti-los abreviarem-se: quem se apega à vida, ou melhor, quem gostaria de apegar-se à vida nota, com horror, como os dias começam a tornar-se leves e furtivos; e a última semana - de quatro, por exemplo - é de uma rapidez e fugacidade inquietante. Verdade é que a vitalização do nosso senso de tempo faz-se sentir para além do interlúdio, e desempenha o seu papel ainda quando a pessoa já voltou à rotina; os primeiros dias que passamos em casa, depois desta variação, afiguram-se-nos também novos, amplos e juvenis, mas sómente uns poucos: porque a gente acostuma-se mais rápidamente à rotina do que à sua suspensão, e quando o nosso senso do tempo está fatigado pela idade, ou nunca o possuímos desenvolvido em alto grau - o que é sinal de pouca força vital - volta a adormecer muito depressa, e ao cabo de vinte e quatro horas já é como se a pessoa jamais tivesse partido e a viagem não passasse de um sonho de uma noite.

Fonte : http://citador.weblog.com.pt/

E falando no tempo e na correria do dia a dia,

trago hoje duas páginas relacionadas com esse tema !
Um dos lançamentos da Silvia Romeo é o kit Executive Woman que é perfeito para fotos do dia a dia !
Gostei demais dos elementos e as cores sobrias garantem um LO impecável !

Confiram ao lado o preview e a composição do
kit abaixo :

Total 27 papers and 46 elements.
Total files unzipped, aprox. 143 MB.
Contents:


27 Papers, 12x12
02 Binder Clips
01Clipboard
02 Bows

01 Brad
01 Clip
01 Buckle
01 Cell Phone Element
01 Embelishment
04 Embroidered stripes
02 Large Frames
01 Eyelet
01 Envelope stamped
04 Journaling Boxes
01 Keychain
03 Fabric Mats
01 Ornament

01 Palm Element
01 Palm Case Element
01 Pen
01 Ribbon
01 Leather Ribbon
01 Ribbon With Buckle
01 Staple
01 Suitcase
03 Tags
08 Wordarts

Lembrando que a Silvia vende na http://www.scrapbookersplayground.com/ e agora também na Digitalsttp://www.digitalscrapbookpages.com/digitals/
A Silvia também estreou um blog, visite sempre para ver os lançamentos e poder conhecer a qualidade dos seus kits através dos freebies : http://www.silviaromeo.blogspot.com/


Confira abaixo minha página em homenagem a Jussara, minha querida amiga !

A Ju é advogada e vive um ritmo acelerado , adorei essa foto com ela pronta para a sua
jornada !
Obrigada querida, adorei sua foto e foi um prazer criar esse LO !
Fiquei muito feliz por você ter gostado !



Créditos : Aqui

Nessa outra página usei essa foto que adoro do Gui, que me pareceu perfeita para o kit !

Gui já se preparando para dar duro no trabalho ! Risos !!


Créditos : Aqui


Por enquanto é só pessoal, daqui a pouco volto com outro kit da Silvia !
Bye !!!
2 Responses
  1. Rosana Says:

    mana...postei umas fotos novas..olha que lindas , la de campos...


  2. Rosana Says:

    lindooooooooooooooooooo
    maravilhoso...............
    totosooooooooooooooooooooo
    rsrssss bjs